Ripanço com cem anos em exposição

“Está localizado no Centro Cívico de Santa Maria Maior o Núcleo Museológico de “Arte Popular” e é lá que se encontra um ripanço, uma ferramenta que tinha como função retirar as cápsulas da planta do linho, que assinala hoje cem anos. Esta peça é importante, pois, segundo Danilo Fernandes, responsável pelo espaço museológico, foi a única encontrada até ao momento com inscrição da data de construção.

O Núcleo Museológico de “Arte Popular”, através do Grupo de Folclore e Etnográfico da Boa Nova tem feito um levantamento e recolha ao longo dos últimos anos, tendo em 2016 editado um trabalho sobre as ferramentas do linho e da lã o ADN do povoamento rural da Madeira, um trabalho que teve por base o estudo e aquisição de mais de uma centena de ferramentas. Esta foi adquirida há uns quatro anos, é do Porto Moniz e é datada e 9 de junho de 1918. É também a peça mais cara das ferramentas do linho que foram adquiridas, revelou.

“Por ser uma peça singular, fizemos questão de realçar a sua antiguidade, “comemorando” o seu centenário, como forma de transmitir o seu valor inestimável que está depositado num núcleo museológico “particular” na Região Autónoma da Madeira”.

Esta e outras peças podem ser vistas de segunda a sexta-feira entre as 10h e as 12h30 e entre as 14horas e as 17h. A entrada é livre.”

(“Diário de Notícias, 09/06/2018, p.3 texto P.H.”)

Foto cedida ao DR

1 161

Deixe uma Resposta